Julho de 2020: Eu não sei como explicar o por quê você deveria se importar com as pessoas.

Atualizado: Set 14

por Kyalene Mesquita






importar

verbo

  1. 1. transitivo direto e transitivo indireto ter como consequência ou resultado; causar, implicar. "a dissidência de uns poucos importou (n)a discórdia geral"

  2. 2. transitivo direto trazer em si; envolver, implicar.


Ler as efemérides (orbes astrológicas) é como ler o jornal, dependendo da sua intenção e do quê te interessa, pode ser que você deixe algo passar, sem perceber bem o quanto a distração pode ser definitiva para uma má condução da realidade.


Na manchete lunar desse mês: ‘O Ciclo Canceriano’ ou então ‘Cuidado, atenção e interesse’. O que você importa pra dentro, são só ECOS do seu EGO? Ou você consegue importar sugestões, soluções, interesses em comum com outras pessoas? Em quais gavetas você guarda o interesse em cuidar? Na gaveta familiar? Talvez a das ambições profissionais? Na gaveta de lançamentos da sua artista favorita? Ja passou da hora de você saber, pois nesse momento, o sujeite-objeto do nosso cuidado e atenção é QUEM e O QUÊ pode sobreviver a um momento de quedas e desamparo coletivo. 


Precisamos tomar refúgio durante 1 mês em tudo que possa ser acolhedor à quem PRECISA, que possa gerar resgate de memórias, que cause sensibilidade e a necessidade de apoio. Mas a oposição arquetípica entre Câncer e Capricórnio revela um combate, entre o PREDATÓRIO e o ACOLHEDOR. Entendendo os personagens do céu desse mês


Lembra da caravana de planetas lentos passando pelo signo de Capricórnio (“O Corpo Político)? Eles batem de frente com o Sol em Câncer nesse mês, mas também com outro personagem: Marte em Áries, planeta que fará uma de suas viagens mais longas por esse signo defensivo e guerreiro, serão 6 meses de confronto entre essa tensão defensiva física/bélica/individualista e todos os significados políticos, sociais e estruturais de Júpiter e Plutão em Capricórnio. Resumindo, quando Câncer, Áries e Capricórnio se encontram no mesmo mês, brigas complexas sobre QUEM DEVE SOBREVIVER, O QUÊ IMPORTA e para QUEM IMPORTA podem acontecer. Quem comanda esse sistema predatório atualmente? Em cada um lugar pode ser uma persona diferente. Quem é aquele que pra continuar no topo não se importa de explorar a base? Como lidamos com isso? 


Aquele que não conhece a sua história, está fadado a repeti-la. Seja uma nação ou indivíduo.


Como reduzir os danos causados por esses descasos? Como trazer a importância do sofrimento alheio para dentro de nós e buscarmos oferecer ou obter AMPARO? Esse neofascismo ultra liberal Brasileiro resiste contra tudo o que dá suporte e sentido, e produz a existência do outro através do controle, seletividade, inimizade e aniquilamento






Para essa metade do ano, as manchetes (astrológicas ou não) são: Precisamos de uma política de redução de danos que resista ao desmonte fascista, precisamos reduzir os danos do capitalismo, da escravidão, do racismo estrutural e científico, reduzir os danos do patriarcado, do consumismo, e todos os danos que geram mais sofrimento. Pra isso necessitamos cuidar uns dos outros, resgatar essa essência de compaixão, que nos ajuda a importar uma questão que de fato pode ‘não ser nossa’ para dentro do peito e da reflexão. Essa lunação é um apelo para o cuidado físico, mental, social e emocional. Se não dermos a chance da pessoa/coletivo que sofre entender e acolher o próprio sofrimento, a ponto de buscar reparações para esses sofrimentos, não é bem emancipação.


Acolha quem está próximo a você e quem não está também, reveja o quê exatamente te traz vínculos com as pessoas e situações. 


Em Julho de 2019 escrevi no texto "Quem foi que Apagou a Luz?" que Câncer e Capricórnio seriam nesse período de 1 ano, uma conversa aberta sobre colonialismo e povos nativos. Sendo Câncer a raiz e o retorno, e Capricórnio a estratégia colonial materialista de “sucesso” para uma cidadania ou um país, a importância do CUIDADO e não pensar apenas no objetivo material, consequências do Patriarcado; Constituições e Regras Sociais em oposição as Leis Humanas (e até Espirituais). Outros temas: maternalizar, ancestralidade, base de apoio e nascimento, inclusão, pertencimento, história, ventre, apoio, humanitário, alimentação, vínculos, sistema familiar, cuidar e etc. Será que evoluímos desde lá?   Para quem gosta do astrologuês: A Lunação de Câncer começou no dia 21 de Junho junto a um Eclipse Solar Anular, possui seu ápice no dia 5 de Julho (também num Eclipse, mas esse foi Lunar Penumbral) e só termina em 20 de Julho. Marte entra em Áries no dia 1 de Julho e fica até 7 de Janeiro 2021 nesse trânsito, não é comum que Marte fique tanto tempo num signo, porém, como teremos movimentos retrógrados de Marte esse ano, ele atenta para um ensinamento um pouco mais longo sobre imposição e conflito.

113 visualizações