capa2.jpg

Roland Barthes e Arte Contemporânea: variações sobre a escrita

com Marcelo Reis de Mello





ROLAND BARTHES E ARTE CONTEMPORÂNEA: VARIAÇÕES SOBRE A ESCRITA



Ao longo de cinco semanas, iremos confrontar o pensamento de Roland Barthes (1915-1980) e os trabalhos de artistas contemporânexs, de diferentes lugares e práticas, que investem no limiar entre o pictórico, o gráfico e o escritural: J. B. Murray (Sandersville, 1908-1988), Mira Schendel (Zurique, 1919 – São Paulo, 1988); Mirtha Dermisache (Buenos Aires, 1940-2012); Doris Salcedo (Bogotá, 1958); Leïla Danziger (Rio de Janeiro, 1962), Nina Papaconstantinou (Atenas, 1968) e Bianca Madruga (Rio de Janeiro, 1984). Com base principalmente em seu livro Variações sobre a escrita e no mais conhecido O prazer do texto, mas também em ensaios reunidos no volume O óbvio e o Obtuso, veremos que certa noção de escrita de Barthes (“uma escrita não tem necessidade de ser ‘legível’ para ser plenamente uma escrita”) contribui à leitura de parte da produção artística do nosso tempo, em que os signos não são articulados, necessariamente, para a produção de um “significado”. É assim que iremos nos aproximar um pouco do universo das escritas ilegíveis, escritas assêmicas ou escritas insignificantes, que se apresentam a nós pela impressão (Schendel, Madruga), pela cursividade (Murray, Dermisache), pela fissura (Salcedo), pela rasura (Danziger) e pela cópia (Papaconstantinou).


5 terças-feiras: 09, 16, 23, 30 de novembro + 07 de dezembro.


Investimento: 200 reais


Mínimo de 07 alunos


Idade mínima: 18 anos


Software utilizado: Zoom


Materiais necessários: computador ou celular e acesso à internet.



Marcelo Reis de Mello é poeta, crítico e professor de literatura. Doutor em literatura comparada pela Universidade Federal Fluminense, com a tese "Poesia, escrita insignificante: balbucio, desastre, apagamento". Atualmente é coordenador efetivo da área da literatura da Coart UERJ. Publicou, entre outros, os livros Elefantes dentro de um sussurro (Cozinha Experimental, 2017) e José mergulha para sempre na piscina azul (Garupa, 2020).

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo