John Ashbery na tradução de Julia de Souza

Atualizado: Set 14




Só dando uma volta

Que nome posso dar para você?

Com certeza não existe um nome para você

No mesmo sentido em que as estrelas têm nomes

Que combinam com elas de alguma forma. Só dando uma volta,

Um objeto de curiosidade para alguns,

Mas você está preocupado demais

Com o segredo que mancha o dorso de sua alma

Para dizer qualquer coisa e dar uma volta

Sorrindo para si mesmo e para os outros.

Acaba sendo um pouco solitário

Mas ao mesmo tempo desagradável,

Contraproducente, quando você se dá conta outra vez

De que o caminho mais longo é o caminho mais eficiente,

Aquele que girava entre as ilhas, e

Você sempre pareceu viajar em círculos.

E agora o fim está próximo

Os trechos da viagem se abrem como uma laranja.

Existe luz ali, e mistério e comida.

Venha ver. Venha não por mim, mas por isso.

Mas se eu ainda estiver ali, garanta que a gente se encontre.





“Just Walking Around”, John Ashbery — em A Wave, (Penguin, 1984).

Just Walking Around

What name do I have for you? Certainly there is not name for you In the sense that the stars have names That somehow fit them. Just walking around,

An object of curiosity to some, But you are too preoccupied By the secret smudge in the back of your soul To say much and wander around,

Smiling to yourself and others. It gets to be kind of lonely But at the same time off-putting. Counterproductive, as you realize once again

That the longest way is the most efficient way, The one that looped among islands, and You always seemed to be traveling in a circle. And now that the end is near

The segments of the trip swing open like an orange. There is light in there and mystery and food. Come see it. Come not for me but it. But if I am still there, grant that we may see each other.




John Ashbery (Rochester, 28 de julho de 1927 - Hudson, 3 de setembro de 2017) foi um poeta estadunidense, considerado o principal representante da poesia da chamada "Escola de Nova Iorque", escola estética predominatemente dos anos 1950 e 1960. Venceu o Prêmio Pulitzer de 1976.



115 visualizações