Capricórnio, o símbolo do corpo político

Atualizado: 14 de Set de 2020

por Kya Mesquita



A importância do corpo político. Manifestantes protestam em frente ao edifício em que morreu o menino Miguel. Recife, 2020.




Sou astróloga a 5 anos, pouco tempo na conta, mas muito chão andado para poder compreender que símbolos não precisam definir a nossa realidade, mas o fato de não ‘precisar’ - a não necessidade - não faz com que eles deixem de representar inúmeras metáforas realistas sobre o ser Humano, desde os tempos mais primórdios. Metáforas que fazem refletir sobre o AGORA com mais atenção.


Capricórnio por exemplo, é a décima primeira posição do Zodíaco - sistema que utilizamos na Astrologia para compreender arquétipos, mitos, elementos e ritmos - é o último signo de Terra, representa o que devemos fazer com a matéria, com o trabalho através do TEMPO de dedicação e da responsabilidade, ele nos faz olhar para as estruturas que foram construídas para além do ‘meu comodismo’ particular (Touro) e das ‘minhas ferramentas e habilidades’ (Virgem), Capricórnio é também o Corpo Político.


Um corpo político é uma metáfora em que uma nação é considerada uma entidade corporativa, sendo comparada a um corpo humano.


É importante sabermos disso pois essa é a figura central dos grandes movimentos de 2020, e ao decorrer do ano todo, 3 planetas transitando nesse signo conversam com todos os outros movimentos do Sol, da Lua e os outros movimentos astrológicos, acrescentando a fala de cada um (dos signos do zodíaco) nessa conversa sobre o Corpo Político & o Tempo.


Agora em Junho essa conversa sobre seus domínios - o tempo, a estrutura, o poder, a ideia de sucesso, as vigas que seguram os andares superiores - ganha destaque, já que em 21 de Junho (dia do último ciclo de eclipses iniciado em Jul/2019), o Sol sai de Gêmeos e vai para o signo oposto-complementar de Capricórnio: o memorial Câncer. Eles vão dividir o nosso olhar, entre encarar a necessidade ancestral, do passado, emocional, negligente - ou seguir mirando nas metas do cansaço desse corpo.


O movimento retrógrado que abordamos no último mês, é um dos motivos pelo qual está cada vez mais dificil ignorar esses assuntos densos de Capricórnio, Júpiter e Plutão estão lá, voltando para trás na história. Em poucas e boas palavras, Plutão faz um discurso sobre O QUÊ exatamente não está sendo levado em consideração, mas que tem PODER sobre nós, ele nos faz desconfiar que há rastros e traumas nas estruturas que temos como certas, os 'planos' de subir na vida ou obter sucesso e domínio sobre outros. Isso vale pro individual? Sim, mas vale lembrar que Capricórnio até no mapa de alguém, é um apontamento de responsabilidade e dever a um outro tipo de estrutura, que não a sua pessoal.


Desde 2008 viemos ouvindo esse discurso de Plutão, essa posição astrológica é mundialmente conhecida pela transformação de governos, planos econômicos, rebeliões contra autoridades e uma visão clara do que foi CONSTITUÍDO como certo e solidificado no último período** e agora corre muitos riscos de ser desconstituído (simbolicamente pelo menos) por uma breve trajetória de 16 anos (2008-2024 Plutão em Capricórnio).

O que somos capazes de mudar e perceber em 16 anos? E em 6 meses? E em 4 semanas? Se nos atentarmos ao lugar de atenção as urgências que Júpiter e Plutão denunciam nesse signo, pelo menos agora em Junho poderemos nos certificar de colocar os pés no chão, e criar uma outra ideia de futuro para os nossos planos.


Pois sim, planos e metas são outros simbolos desse preocupado signo do Zodíaco.


Isso é uma previsão? Não, isso é uma analise simbologica que utiliza calculos imaginados, por um sistema criado a séculos e que se adapta desde então, a língua e mão de cada astrólogo, se fizer sentido pra você e para o que viveremos será pura sincronicidade.




**Período de 30 ou 60 anos tempo de 2 rotações de Saturno, planeta que comanda esse signo astrológicamente, regente das estruturas vigentes.


38 visualizações0 comentário