As unhas inteiras o coração partido

Atualizado: Set 14

de Gabriel Bustilho


há dias em que a rua é uma casa

arruinada

e descubro que estou (que, aliás,

sempre estive) despedaçando

às três da manhã não

poderia reconhecer-me

como também não posso

quando estou sóbrio e trabalho

não haveria clarabóia possível

que enxergasse um sol a pino

mas trabalha a água-furtada

de meu rosto contra o piche do tempo

e se digo sou um monstro

sou também um homem

as unhas inteiras o coração

partido e nada se distingue

sei que é impossível ver-se à beira

quando se é o abismo

e que apesar das lâminas

do meu corpo se desfazendo

- uma inútil granada

que nunca explode -

posso estar (e estou)

a tentar não ferir os outros

mas a isso antes se deve outra tarefa

a de tentar não amar alguém tão

de perto com esse corpo estilhaçado

e aprender que sozinho posso muito

e muito e muito









BIO: Gabriel Bustilho nasceu no Rio de Janeiro, em setembro de 1997. É graduado em Letras pela UFRJ. Possui alguns poemas perdidos em revistas eletrônicas. Lança esse ano seu primeiro livro, “no dia após” (Urutau/2020).

113 visualizações