top of page
capa2.jpg

Ações para começos

por Ana Luiza Rigueto



Vista da Ação Fortalezense #2: Saudades do Brasil, de Eleonora Fabião, 2009.

Foto: Victor Furtado.




Reunir livros que eu tenha começado esse ano

Os livros devem ser impressos e estar no meu quarto

Pular todo o paratexto e ir direto ao texto

Transcrever em um único arquivo o começo de cada um desses livros

Considerar o começo das prosas a primeira frase. Dos poemas, o primeiro verso

Ordenar os começos, conforme os títulos dos livros, alfabeticamente


*


1_ “Deixou um rastro de leite e sangue. Teve sete filhos, entre eles,”

2_ “No começo da aula eu disse a Tórtsov, o Diretor da nossa escola e teatro, que podia compreender com meu cérebro o processo de implantar e treinar dentro de mim os elementos necessários para criar uma personagem, mas que ainda não via com clareza como conseguir a construção dessa personagem em termos físicos.”

3_ “Meu pai tentou matar minha mãe num domingo de junho, no começo da tarde.”

4_ “lembro dos motoqueiros selvagens da zona oeste”

5_ “O meu nome é Tiago Rodrigues, sou ator.”

6_ “aprender a pensar”

7_ “Dia garimpo”

8_ “Cesar Aira, fabuloso escritor e crítico literário argentino, escreveu que a tarefa da crítica ensaística não é explicar uma obra ou avaliar o seu valor.”

9_ “A que morreu de seu vestido azul está cantando.”

10_ “Com pequenos entalhes o homem de Cro-Magnon registrou as fases da lua no cabo das ferramentas, o pensamento nela enquanto trabalhava.”

11_ “No livro ‘Uma breve história do tempo’, Stephen Hawking explica que, quando um corpo se movimenta, a força que atua sobre ele provoca um deslocamento que afeta a curva de espaço-tempo do universo.”

12_ “Destinado a professores que tenham pouco ou nenhum treinamento em teatro, este livro é um guia passo a passo para a organização da oficina de jogos teatrais na sala de aula.”

13_ “pergunto: o que há num nome?”

14_ “A virtude do catch* é a de ser um espetáculo excessivo.” [*catch corresponde na França a uma espécie de luta livre no Brasil]

15_ “coveira? desculpe o susto é estranho ver”

16_ “Quando”

17_ “Estou atrasado.”

18_ “No ensaio ‘O encontro do mito e da ciência’, Lévi-Strauss narra o início de um desencontro, origem de um esquecimento trágico.”

19_ “Estou parado à janela deste casarão no sul da França ao cair da noite, a noite que vai me levar à manhã mais terrível da minha vida.”

20_ “Eu e meu pai sentados no restaurante de um hotel na Bahia.”

21_ “A educação da classe média típica é para a conformidade.”

22_ “Tinha eu a idade de dezenove anos”


**

Narrar o começo de um dia comum, por exemplo, hoje


*

Acordei às 6h. Cochilei. Acordei às 7h com o despertador. Desliguei o despertador. Rolei na cama e levantei às 8h40, muito mais cansada que às 6h. Peguei meu celular. Mensagens de bom dia de desconhecidos. Não entendi nada. Depois lembrei quem eram. Mensagem de um amigo me chamando para ver o jogo do Brasil na rua. Recusei. Mensagem de uma amiga com quem parei de falar há algumas semanas, me contando de um sonho bonito, engraçado e triste comigo. Não soube o que responder. Não respondi. Fiz café, fiz ovos mexidos, espremi um limão puro num copo d’água, cortei um pedaço de bolo de aipim. Tomei meu café pensando que voltei a acordar cansada e ansiosa. Não acordo assim quando estou distraída com a vida ou com alguém que me espera. Se estou muito atenta a meu próprio funcionamento, passo a andar em círculos e a desconfiar muito, como naquela narrativa de Kafka, A construção. Me vesti toda de preto e fui até a clínica fazer uma limpeza no ouvido com um otorrino, o que acontece uma vez por ano. Saí de lá ouvindo tudo. É muito boa a sensação de sair ouvindo o agudo dos sons chegando rápido até os tímpanos, o entorno mais presente mesmo que eu não olhe tanto, os passarinhos gritando, os carros, minha mão roçando num papel ou nela mesma, o solado do tênis raspando o asfalto áspero. Voltei para casa andando os dois quilômetros desde a clínica. Parei nas Casas Pedro e comprei leite vegetal. Segui ouvindo tudo. Cheguei em casa, bati um shake com leite de castanha, banana, morango e creatina.


**

Juntar os começos dos livros reunidos, tirar as aspas

Editar eliminando e reordenando partes, não inserir nada

O objetivo é fazer um poema


*


quando um corpo se movimenta

a força que atua sobre ele provoca

um espetáculo excessivo

início de um desencontro

origem de um esquecimento

trágico


estou atrasado

pouco ou nenhum treinamento em teatro

eu e meu pai sentados no restaurante de um hotel na bahia


é estranho ver

o meu nome

aprender a pensar

a construção dessa personagem

em termos físicos


seu vestido azul está cantando

o susto enquanto trabalha

motoqueiros selvagens

a noite vai me levar à manhã

da minha vida


**


Começar


*

minha cabeça está cheia de texto e de começos.


no dia após o lula ser eleito fazia tempo eu não vivia tanta paz. as coisas todas baixaram a guarda e pelo menos hoje, pensei, estão sem tensão sexual. as coisas ou eu. “que paz”, eu disse baixinho pra mim mesma, enquanto andava com vanessa para tomar o café da manhã na rua.


começos têm memória forte. eu, nos começos, é quando fico mais atenta e sei dizer quando gosto de alguém se lembro com clareza de muito do que ela me diz ou faz das primeiras vezes e se começo a gostar no meio é esse o começo.


um começo quando ou quantas vezes começa.


alguma coisa está acontecendo agora comigo, acho que é um começo.


um livro só começa porque alguém se concentrou em fazer esse talho.


finalmente um começo aconteceu.


prestar atenção aos começos, e suas promessas sem nome.


ser cooptada pelo começo que um livro inventa para si mesmo.


no último dia de uma oficina que assisti, uma participante fez questão de se reapresentar, como se fosse o primeiro dia, assim:


hoje queria terminar me apresentando a vocês, de novo.



**


Os começos são de:


1_ A água é uma máquina do tempo, Aline Motta (2022)

2_ A construção da personagem, Constantin Stanislavski (1970)

3_A vergonha, Annie Ernoux (2022)

4_Andar barato, Ana Botner (2021)

5_By Heart e outras peças, Tiago Rodrigues (2021)

6_Dança para cavalos, Ana Estaregui (2022)

7_Dia garimpo, Julieta Barbara (2022)

8_Dramaturgias da crítica, Patrick Pessoa (2021)

9_Extração da pedra da loucura, Alejandra Pizarnik (2022)

10_Falas curtas, Anne Carson (2022)

11_Instruções para montar mapas, cidades e quebra-cabeças, Flávia Péret (2021)

12_Jogos teatrais na sala de aula, Viola Spolin (2019)

13_Lumes, Ana Luisa Amaral (2021)

14_Mitologias, Roland Barthes (1989)

15_Motivos para cavar a terra, Lilian Sais (2022)

16_Mulher-bomba, Flávia Péret (2019)

17_Não pisar descalça em tapete, Maria Isabel Iório (2022)

18_O olhar, texto “De olhos vendados” de Adauto Novaes (Org.) (1990)

19_O quarto de Giovanni, James Baldwin (2020)

20_Rua maravilha tristeza, Frederico Klumb (2022)

21_Técnica da representação teatral, Stella Adler (2021)

22_Um nome inteiro disposto à montaria, Caetano Romão (2021)

82 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page